Itália: Desculpa se te chamo de amor

Resenha nº 31: Desculpa se te chamo de amor – Federico Moccia

A história começa com Alex sendo abandonado por sua noiva após pedi-la em casamento, sem explicações, apenas pedindo que ele não a procure. Ele a ama e fica abatido. Além disso, é um grande publicitário e novos desafios vão surgir no trabalho, o que o deixará bastante estressado.

A raiva deve gerar sucesso. Mas o sucesso gera o quê?

Niki está terminando o colegial, é uma jovem vivaz e destemida, que vai dar muita dor de cabeça para Alex depois do acidente de trânsito que fez os dois se conhecerem. Suas amigas, Olly, Diletta e Erica, se autodenominam Ondas (em italiano, ONDE, as iniciais das quatro moças) e são inseparáveis.

Para que dar tantas voltas? Já tem o mundo que gira, não? Eu sou direta.

No geral, é uma história cotidiana com Roma no plano de fundo, além das viagens que eles fazem pela Europa. Percebi que os italianos realmente apreciam uma boa refeição e gostei de comparar as diferenças culturais. No desenrolar da história, acompanhamos o desenvolvimento do romance de Alex e Niki, que vai se tornando mais intenso conforme eles se soltam.

Não se preocupe com o futuro. Ou então se preocupe, mas sabendo que isto o ajuda tanto quanto mascar um chiclete para resolver uma equação algébrica. Os verdadeiros problemas da vida serão seguramente coisas que nunca passaram pela sua cabeça, aquelas que o pegam de surpresa às quatro horas da tarde de uma quarta-feira preguiçosa.

Junto a isso, refletimos com o autor sobre o amor, ciúmes, casamento, sobre aproveitar a vida, o presente… Isso tudo a partir do romance deles e as histórias dos personagens secundários, que no final vão todos se encontrar para amarrar os pontos.

Não olhem para trás, senão não percebem o presente. Devem sempre estar atentos ao presente.

O ciúme, você não sabe o que significa…Você tem sorte, não sentiu, é um animal que come por dentro, que corrói, que despedaça, que dilacera, que contorce, que atormenta…

A vida é toda uma curiosidade a ser saciada…

O amor mais bonito é uma conta errada, uma exceção que confirma a regra, aquela coisa para a qual você havia utilizado a palavra nunca.

O casamento é como uma flor. Deve ser controlado a cada dia, curado, regado, deve ser acompanhado com amor e alimentado…

Fica-se junto por escolha e não por dever.

Realmente, esse livro é um poço de citações e frases para fotos no Instagram ou Facebook. Além das reflexões do autor, ele também cita outras obras, músicas e filmes, enriquecendo ainda mais essas reflexões. Porém, acho que o autor exagera um pouco na busca de profundidade e o livro se torna arrastado, até chato.

A história é leve e bem estruturada, mas tive que perseverar para chegar ao final. O excesso de personagens secundários também me confundiu um pouco. Confesso também que a diferença de idade me incomodou, a personagem poderia sim ser um pouco mais velha.

Considerando tudo isso, a leitura foi boa mas não extraordinária, entretanto, eu não tinha lido uma história assim no desafio ainda, então valeu a pena. Eu concordo totalmente com a visão do autor sobre o amor e relacionamentos, inclusive gostaria de ter mais coragem para ir atrás da minha felicidade. 

Para finalizar, tenho que dizer que o Prime me ajudou a ler mais gastando pouco, planejo fazer um post só falando sobre isso, o que acham? Comente aqui se você já usa o Amazon Prime e o que acha do serviço deles. 

Vou deixar aqui mais algumas citações para você usar. Beijos e até a próxima!

Quando algo nos faz falta precisamos preencher esse vazio. Só que, quando o que faz falta é o amor, não há nada que verdadeiramente seja suficiente.

Algumas coisas é melhor perder do que encontrar!

Talvez amar seja outra coisa. É sentir-se leve e livre. É saber que o coração dos outros não lhe é devido, não lhe pertence, não lhe cabe por contrato.

Porque, quando alguém que você deseja se vai, você tenta mantê-lo com as mãos e espera assim prender também o seu coração. E não é assim. O coração tem pernas que você não vê. E Fabio vai embora dizendo “você vai me pagar”, mas o amor não é uma dívida a ser liquidada, não dá créditos, não aceita descontos.

A vida termina quando paramos de vivê-la.

Podemos mentir a todos, mas não a nós mesmos.

Pensar demais em alguma coisa pode arruiná-la.

Lembre-se, sonhe e siga os meus conselhos: leveza. Um sorriso e tudo vai parecer mais fácil.

Você pode fugir do barulho do rio e das folhas ao vento, mas o verdadeiro barulho está dentro de você.


Ficha Técnica:

Autor: Federico Moccia

Editora: Planeta Brasil

Ano: 2013 (versão ebook)

Adicione o livro no Skoob!

Compre na Amazon!



Categorias:Especiais, Livro completo, Países, Progresso de leitura, Resenha, Romance, Sem categoria

Tags:, , , , ,

3 respostas

Trackbacks

  1. Suécia: Os Homens que não Amavam as Mulheres – Desafio Livros pelo Mundo
  2. O Amazon Prime Reading é bom? – Desafio Livros pelo Mundo
  3. Ruanda: Sobrevivi para contar – Desafio Livros pelo Mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: