Macedônia: A Irmã de Freud

Resenha nº 35: A Irmã de Freud – Goce Smilevski

Olá, meus queridos leitores! Como vocês estão? Em homenagem ao setembro amarelo, trouxe um livro que aborda questões de saúde mental de um jeito sério e mais amplo. A resenha de hoje é sobre o livro A Irmã de Freud, que recebeu o Prêmio da União Europeia para a Literatura e já foi traduzido para mais de trinta idiomas.

Freud é um personagem conhecido no imaginário popular como o pai da psicanálise, ele também era judeu e vivia em Viena com sua família quando a Segunda Guerra Mundial teve início. Sendo uma figura importante, Freud conseguiu um visto de saída e fugiu de Viena quando os nazistas chegaram. Ele levou consigo seu médico, empregados, o cachorro, a cunhada e nenhuma de suas quatro irmãs.

Nunca saberemos os motivos dessa decisão, mas Goce Smilevski parte desse ponto para iniciar sua história, quando as irmãs são enviadas para campos de concentração e exterminadas. Freud morreu pouco tempo depois em Londres, pois já estava doente.

A história é contada pela irmã mais nova, Adolfine, desde a infância, quando ela não era capaz de entender o que acontecia ao seu redor. Ela era odiada pela mãe, mas tinha um bom relacionamento com Sigmund e descobrimos um pouco da intimidade e fraquezas desse homem famoso.

Adolfine teve uma vida miserável, que vem acompanhada pela discussão das teorias psicanalíticas de seu irmão e nem sempre eram seguidas por ele próprio.

Ela também testemunhou o esplendor cultural e artístico de Viena no início do século XX, uma de suas melhores amiga era irmã de Gustav Klimt, pintor de O Beijo. Adolfine aspirava uma vida que poucas mulheres de sua época podiam alcançar.

O Beijo. Gustav Klimt, 1907-1908. Österreichische Galerie Belvedere

Adolfine era apaixonada por um antigo amigo e estudante, que parecia retribuir esses sentimentos, mas adiante o relacionamento se torna cada vez mais complicado. Isso gera sofrimento para ambos. O sonho de Adolfine era formar uma família e viver em Veneza, na Itália.

Um dos principais temas do livro é a loucura, nesse ponto lembrei bastante de O Alienista, escrito por Machado de Assis (é um livro sensacional, se não leu ainda, eu recomendo). Adolfine vive por algum tempo com sua melhor amiga em um hospital psiquiátrico e narra o que vê lá, tanto os pacientes quanto a conduta médica.

A história de Adolfine é sofrida e comovente, acredito que em certo grau todos os leitores conseguem se enxergar nela, é como se todas as tragédias humanas tivessem acontecido com ela. Smilevski conduz a história de maneira calma, o que permite boas reflexões, até porque os temas são bem pesados.

A Irmã de Freud é um livro emocionante sobre uma mulher que foi esquecida nas sombras da história. Não pude encontrar muito sobre sua história para saber até que ponto o livro de Smilevski é verdadeiro.

Confesso que foi um livro um pouco difícil de ler, tanto pelo tema quanto pela calma e aparente falta de objetivo da narrativa. Contudo, cada vez que eu o abria sentia que algo se mexia dentro de mim, é algo que não sei explicar, foi único.

Realmente não consigo decidir se o livro é bom ou não para recomendá-lo, mas sem dúvida é um livro único.

Gostou dessa resenha? Leia também essa resenha sobre Vasto Mar de Sargaços, em que a autora Jean Rhys faz uma releitura da personagem “louca” de Jane Eyre, obra clássica de Charlotte Brontë. Até a próxima semana!


Ficha Técnica:

Autor: Goce Smilevski

Editora: Bertrand Brasil

Ano: 2013

Adicione o livro no Skoob!

Compre na Amazon!



Categorias:Etapa, Livro completo, Países, Resenha, Sem categoria

Tags:, , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: